Não consigo ficar indiferente...

... perante o que se passa com uma das melhores, senão a melhor escola de música do país. Falo da Escola de Música do Conservatório. Estudei lá praticamente 4 anos. Foi a minha casa durante esse tempo, marcou a minha saída de casa aos 18 anos para seguir algo que na altura achava ser o meu futuro, foi lá que conheci uma das minhas melhores amigas, foi lá que conheci músicos excepcionais, foi lá que conheci gente muitíssimo talentosa, foi lá que tive professores que nunca esquecerei, foi lá que fui muito feliz. 
Aquelas paredes para além de contarem muitas histórias, respiram música. A música é o ar que se respira e se sente a cada recanto, e é por ela que o edifício ainda se mantém em pé, é por ela que dezenas de alunos, pais, professores e funcionários lutam, é pelo o ensino artístico público em Portugal que lutam. Estou com eles na luta, o sentimento de impotência perante a distância física que agora nos separa é muito. 
Tapar buracos não chega. Tomar medidas meramente paliativas não chega. A EMCN não tem obras requalificativas há 70 anos. O edifício irá fazer 180 anos de existência. Era um antigo convento, um edifício antigo em pleno Bairro Alto, mas carregado de emoção, de alma, de música.
Manifestações. Vigílias. Concertos. Um hino. Aulas na rua. Todas as formas de protesto. Porque é muito fácil tomar medidas que em nada resolverão os problemas reais da escola. Os alunos não têm salas para ter aulas, dez delas foram encerradas. Tectos que caem, salas rodeadas de baldes para apararem a chuva que insiste em fazer de metrónomo quando chove, janelas instáveis e que não suportam o vento... poderia continuar a enumerar tudo o que se passa. O problema não é de agora, é de há muito tempo. Eu vivi isso nos anos em que lá estudei. 
Já chegámos à imprensa estrangeira. Somos notícia em França, no Reino Unido,... 
Será que a vergonha não chega para os nossos governantes tomarem alguma medida decente urgentemente?
A forma como um estado trata o ensino e a cultura espelha um país. 
Enquanto podermos não deixaremos a cultura morrer.
Um país sem arte e educação nada é. A arte perdura, a arte fica na história. 

Está a ser feita uma petição pública para a requalificação e recuperação do edifício, peço por isso que juntem a vossa voz à nossa e a assinem se assim acharem que o devem fazer. 
Basta fazer click aqui e é muito fácil ajudar. 
Juntem-se também à luta através da página do Facebook, Eu sou Conservatório Nacional.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

... uma história bonita tem sempre pessoas reais

Festival da Canção, a minha crónica