Deus é amor.

Depois do massacre de ontem em Paris, eu fui, como sempre, à missa das quartas-feiras no Instituto Universitário Justiça e Paz.  Rezei pelas famílias da vítimas. Como pode o mundo ser tão cruel? E como podemos nós ter opiniões como a do apresentador Gustavo Santos? Uma pessoa que supostamente se diz "life coach"... Só os mais inteligentes e tolerantes em relação à diferença seja ela racial, religiosa, etc. sabem interpretar o humor de forma positiva. A vida é tão efémera...para quê perder tempo em guerras, atentados e revoltas em vez de nos respeitarmos mutuamente? Saber viver é também saber brincar e rir de nós mesmos e dos outros sem qualquer tipo de maldade inerente. O Gustavo Santos foi de facto muito infeliz no que disse mas ainda bem que vivemos num país onde todos podemos expressar a nossa opinião com total liberdade. 
A reflexão da Eucaristia tocou-me profundamente... e por isso partilho convosco. 
Porque Deus é amor... 

«A única lição que os homens precisam de aprender é amar. A sua única missão é essa: amar. Quando souberem amar estarão salvos! (…) Amar é deixar que a carga do outro passe para nós. (…) O amor consiste em dar-se a si mesmo (…) Amor e dor são inseparáveis. (…) Eles pensam que o amor é uma necessidade, não entendem que ir à procura de amor por necessidade não seria amor mas o seu contrário, a dependência. (…) amar é querer o bem do outro e não o nosso. Sem isto não há amor. (…) O amor é gratuito. Só pode amar quem aceita viver a sua própria solidão e sabe que não precisa do outro para sobreviver. A solidão não é o contrário de amar (…), é o seu alicerce escondido. (…) é precisamente assim que nos podemos envolver sem medo de nos perdermos. O verdadeiro amor alimenta a independência. (…) O amor, para ser amor, tem de ser livre dos dois lados.»
Nuno Tovar de Lemos
em “O Príncipe e a Lavadeira”

Partilho também a primeira leitura do dia de ontem...




Primeira Leitura (1Jo 4,11-18)



Leitura da Primeira Carta de São João.

11Caríssimos: se Deus nos amou assim, nós também devemos amar-nos uns aos outros. 12Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amamos uns aos outros, Deus permanece conosco e seu amor é plenamente realizado em nós.

13A prova de que permanecemos com ele, e ele conosco, é que ele nos deu o seu Espírito. 14E nós vimos e damos testemunho, que o Pai enviou seu Filho como Salvador do mundo. 15Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece com ele, e ele com Deus.

16E nós conhecemos o amor que Deus tem para conosco, e acreditamos nele. Deus é amor: quem permanece no amor, permanece com Deus, e Deus permanece com ele. 17Nisto se realiza plenamente o seu amor para conosco: em nós termos plena confiança no dia do julgamento, porque, tal como Jesus, nós somos neste mundo.

18No amor não há temor. Ao contrário, o perfeito amor lança fora o temor, pois o temor implica castigo, e aquele que teme não chegou à perfeição do amor.


- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

*Não sei porque não consegui publicar ontem este post, mas aqui está ele. 
Escrito a 10 de Janeiro.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

... uma história bonita tem sempre pessoas reais

Festival da Canção, a minha crónica