Festival da Canção, a minha crónica

Bom dia, uma semana que começa, novas oportunidades para sermos felizes e fazermos aquilo que gostamos :)
Hoje trago-vos a minha opinião sobre a primeira semifinal do Festival da Canção da RTP que aconteceu ontem à noite. A RTP prometeu inovar, mas confesso que não fiquei deslumbrada. Os autores e escritores prometiam, mas acho que não sabemos compor músicas para a Eurovisão. Muito resumidamente é isto. Gostei de todas as músicas e acho que são óptimas para o mercado interno, mas não para chegar a um lugar cimeiro na Eurovisão. Acredito que a língua não é uma barreira, mas para isso é preciso uma música espectacular e que nos faça arrepiar da cabeça aos pés, e isso não é uma tarefa nada fácil.
Eu sou fã da Márcia e do Samuel Úria, mas tenho que admitir que o seu estilo não chega ao público deste tipo de formatos. No entanto gostei imenso das músicas, nada a dizer.
Também sou fã da Rita Redshoes e adoro a voz da magnífica Deolinda Kimzimba, mas não me convenceram. O Fernando Daniel também tem uma voz esplêndida, aveludada e um timbre inigualável, mas o Nuno Feist já levou melhores músicas a concurso e também não a escolheria para ir à Eurovisão. 
A Lisa Garden foi a única que levou um pop europeu que talvez convenceria os jurados internacionais, mas cantou em inglês, foi a única e por isso descartaram-na. 
Depois vem a minha MÚSICA DA NOITE, dos manos Sobral. Já não ouvia uma música desta qualidade musical e interpretativa há muito tempo. 
Fiquei apaixonada, de coração arrebatado pelo timbre, pela sonoridade, pela interpretação, pela letra... a minha música da noite e desta manhã porque está em modo repeat! :)


Pode não ser a música ideal para o Festival mas foi a minha preferida.
Depois, por último vem um compositor que eu muito admiro, de uma das minhas bandas preferidas, e a sonoridade não mente. A música que para mim foi a vencedora da noite e a merecedora de ir à Eurovisão caso não existissem mais 8 para a próxima semifinal.
Parabéns à Kika, porque aquela voz é inimitável e inigualável. Os dois contratenores são fabulosos e a junção pop/lírico foi bem sucedida, apesar de achar que houve alguns pormenores que têm que ser bem limados e melhor entrelaçados. O crescendo da música é magnífico e digno de ser levado à Eurovisão. 


E agora que venha a segunda semifinal :)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

... uma história bonita tem sempre pessoas reais