Os meus essenciais de cuidado de rosto e corpo

Hoje vou transformar-me em blogger de moda e trago-vos as minhas escolhas para cuidado diário que tenho usado ultimamente. Algumas descobertas recentes, outras um habitual de alguns anos ou meses. Espero que gostem, são sugestões acessíveis e outras um pouco mais acima da linha do mais barato.


Começo ou acabo o meu dia por fazer uma exfoliação à pele, nomeadamente na zona T, onde tenho sempre mais borbulhas e pontos negros. Este esfoliante (ou exfoliante, curiosidade linguística: pode-se escrever das duas formas) custa 1,49€ e é incrivelmente eficaz! Vale a pena experimentarem, acreditem!


Confesso que só comprei a água micelar da Garnier porque estava em promoção, a verdade é que é muito boa porque tonifica, limpa e desmaquilha tudo menos produtos waterproof.


Durante alguns anos usei o creme de dia da The Body Shop de algas marinhas, a verdade é que toda a gama é um pouco cara e eu tinha tudooo, mesmo tudo da marca. Quando encontrei a Bioten e vi que não tinha parabenos e etc. fiquei fã, este creme é óptimo para dar um boost de energia à pele!


Por apenas 4,99€ este BB cream é muito bom porque cobre a pele e disfarça as manchas e imperfeições. Coloco sempre com um pincel porque fica bem espalhado, foi a minha última aquisição, mas se espalharem com a mão fica óptimo na mesma!



A minha última novidade na bolsa de uso diário foi este corrector de olheiras da Flormar, que é também um excelente iluminador e dá-nos um ar mais saudável. Custou 8,99€ mas vale bem a pena o preço, e não é nada extraordinariamente caro.



Para finalizar o meu retoque diário, coloco esta máscara/rímel da The Body Shop que já uso há anos. Comecei a usar porque a máscara waterproof era demasiado boa e muito difícil de remover, e desde ai fiquei fã desta. Sai bem com água micelar, o que é óptimo e poupo tempo.


Nem sempre uso, mas quando faço contorno de olhos uso um bom lápis.
Vou sempre variando, mas agora tenho este, custou mais ou menos 5€.


Para terminar nada que um bom pó. Eu usava pó solto do meu tom de pele da Yves Rocher, mas desde que descobri este pó translúcido que fiquei fã, muito bom, da Flormar.



Ao terminar o dia, se tiver uma maquilhagem mais elaborada e com produtos waterproof, uso este desmaquilhante maravilhoso. O único que desmaquilha, mesmo!


O creme de noite que uso é este. É refrescante, leve e muito bom para a noite. Uso já há alguns anos e dura imenso tempo porque se espalha muito bem.

Quando a minha cara está naquela altura do mês mais feia, ou quando como chocolate é ai que ataco com esta preciosidade e deixo actuar durante a noite. Um cheiro forte mas de extrema eficácia.


De quando em vez convém fazer uma máscara hidratante, e há largos meses numa compra que fiz na The Body Shop recebi de oferta esta máscara e é óptima, aconselho!
Adapta-se a todos os tipos de pele e a vitamina E é excelente!


Para o corpo comprei recentemente este creme da Bioten e tem um cheiro super agradável, muito bom. Confesso que não coloco todos os dias, só no Verão, de Inverno sou muito preguiçosa e assim que saio do banho só me quero vestir rapidamente. 
Para as mãos uso Nivea mãos ou este SOS Hands da Bioten, muito bom e eficaz!


Para hidratar os lábios tenho sempre um batom em cada mala ou mochila. 
Já usei o último e agora estou a usar o segundo, não sou fã dos vermelhos a não ser que o objectivo seja mesmo esse.

*Direitos de autor para algumas foto que são do Blogue da Patrícia Salomé, passem por lá, vale a pena!*




Comentários

  1. Olá Cátia,

    Vi que está a utilizar na sua publicação duas fotos provenientes do meu blogue. Não me importo de todo que as utilize, mas por favor mencione na publicação que as retirou do meu blogue :)

    Beijinhos
    Blog Sou Patrícia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Patrícia,
      Peço desculpa pelo abuso, fi-lo sem me dar conta.
      Farei com toda a certeza.
      Mais uma vez, desculpa.
      Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

... uma história bonita tem sempre pessoas reais

Festival da Canção, a minha crónica